A jornada da estrada da droga à montanha da liberdade

Adiele Marques de Souza1

Ao tomar uma decisão de parar com as drogas, independentemente de sua natureza (tabaco, álcool, drogas), você deu o primeiro passo de uma jornada que leva a uma maior liberdade, maior auto-estima e uma vida mais longa e saudável.

A parte mais importante de qualquer jornada é estabelecer o objetivo, formar um compromisso de ingressar na viagem. Ao formar o compromisso de deixar a droga para trás, você indicou a força de sua VONTADE de mudar. Mas em si mesmo, o compromisso não pode transportá-lo instantaneamente ao destino final de sua jornada. Você deve, realmente, assumir a jornada para mudar por conta própria. Nosso programa para prevenção de recaída (PR) objetiva ajudá-lo a fazer a jornada; o programa de PR é como um guia que você contratou para ajudá-lo, oferecendo mapas e auxílio de navegação, assim como apontando os perigos e armadilhas ao longo do caminho.

A finalidade de nosso programa é oferecer-lhe um MEIO de atingir seu objetivo; você tem a VONTADE (por ter formado o comprometimento de abandonar o hábito) e a PR oferece o MODO de alcançar seu objetivo.

Inúmeras pessoas que iniciam essa jornada de abandono do hábito cometem o erro de pensarem que sua vontade é tudo que precisam para alcançar o objetivo – que superarão todos os obstáculos no caminho pelo poder bruto de sua força de vontade. Isso faz tanto sentido quanto o explorador ingênuo que se lança em território desconhecido sem o auxílio de uma bússola, mapa ou outro equipamento essencial. Na maioria dos casos, tais viajantes inexperientes perdem-se no caminho ou descobrem-se incapazes de dar mais do que alguns passos antes de ter de voltar à base. Geralmente, na primeira vez que encontram sinais de problemas no caminho, descobrem que sua vontade não é suficiente para levá-los avante com sucesso (por exemplo, encontrar um urso pardo e tentar intimá-lo com o olhar em uma batalha de vontades). O primeiro problema freqüentemente transforma-se em fracasso geral, à medida que o explorador ingênuo desiste e volta ao território familiar.

Deixar de usar drogas em geral é uma jornada por si só – na verdade uma imensa viagem! É um pouco como se divorciar e se mudar para outra cidade. Neste caso, entretanto, você decidiu divorciar-se de uma antiga dependência: as drogas. Após viver com elas por muitos anos na Estrada da Droga, você finalmente tomou a decisão de partir, de se lançar por conta própria em busca do ar puro e paisagens da Montanha da Liberdade. Embora você tenha sentimentos mistos em relação a deixar seus amigos da Estrada da Droga (afinal, vocês passaram por poucas e boas juntos), sente uma necessidade crescente por independência e liberdade, por tirar as amarras, em vez de tirar outra dose, tragada ou cheirada. Mas, afinal de contas, o que você está deixando para trás? As drogas com as quais viveu por tanto tempo na Estrada da Droga estão se tornando cada vez mais pesadas. Embora pareçam prometer amizades e relacionamentos, você está a cada dia mais consciente de que as drogas estão lhe roubando algo – roubam sua força, seu tempo, seu dinheiro, freqüentemente seus amigos e, eventualmente, exigem sua própria vida. Embora, às vezes pareça que você tem as drogas alienígenas da Estrada da Droga sob controle (afinal, não é você que tem o controle?), você percebe, mais e mais, que está sob o controle delas – sente-se um prisioneiro, ficou “amarrado”, incapaz de mover-se livremente por conta própria, sem a presença e a proteção de suas drogas companheiras. É hora de escapar.

Enquanto você planeja sua fuga, você descobre que o único veículo que pode obter para sua jornada é uma bicicleta; para tornar as coisas piores, faz muito tempo que você andou de bicicleta pela última vez. O território à frente parece desconhecido e perigoso. As dúvidas enchem sua mente: “Será que conseguirei? E se eu me perder e fracassar? Acho que não vou conseguir sozinho…”, e assim por diante. Essas dúvidas são os precursores naturais de qualquer jornada importante, mas podem ser reduzidas, se estiver PREPARADO com antecedência para a jornada – se tiver as FERRAMENTAS certas (por exemplo, mapas, ferramentas de manutenção da bicicleta, vestuário adequado e suprimentos); se você tiver dominado as HABILIDADES adequadas (aprender a andar na bicicleta, usar as ferramentas, etc.), e se tiver a ATITUDE correta sobre a viagem (saber que é realmente uma jornada com altos e baixos e se aventurar na estrada – e que levará algum tempo para alcançar seu destino). O programa PR visa equipá-lo para a jornada (oferecendo os equipamentos e habilidades necessários) para ajudarem a guiá-lo através dos estágios iniciais da viagem. Diferentemente de outros programas de tratamento para as drogas, a PR não o deixa simplesmente nos limites da Estrada da Droga sozinho e por conta própria; nós o acompanharemos através dos primeiros estágios difíceis após ter deixado as drogas para trás. Nossa experiência como guias, vem do trabalho com muitas pessoas que tentaram fazer o trabalho antes. Aprendemos muito, tanto com sobreviventes bem sucedidos, quanto com aqueles que experimentaram dificuldades. É uma jornada que todos temos de fazer, cedo ou tarde, se desejamos alcançar as frescas florestas e céus claros da Montanha da Liberdade.

Especificamente, o programa PR consiste dos seguintes componentes com a finalidade de ajudá-lo em sua jornada:

  1. A PR ensina-lhe estratégias (modos construtivos de pensar e se comportar) para lidar com os problemas imediatos que aparecem nos estágios iniciais da viagem, especificamente lidar com a compulsão e fissura pela droga.
  2. A PR lhe oferece MAPAS mostrando a localização de várias situações de tentação, armadilhas e locais perigosos ao longo do caminho, que podem tirá-lo de seu curso com o fascínio da tentação. A PR lhe dará informações sobre desvios para que você evite as situações de tentação quando possível e para ajudá-lo a adquirir as habilidades para lidar com elas eficazmente sem ceder ou desistir.
  3. A PR ajuda a guiá-lo através dos truques que nossas mentes às vezes nos pregam quando temos dúvidas, no meio do caminho. Ensinaremos você a reconhecer os SINAIS INICIAIS DE ALERTA, que nos avisam sobre o perigo de recaída, incluindo os truques psicológicos de tomar DECISÕES APARENTEMENTE IRRELEVANTES (DAIS) que visam, secretamente, colocar-nos em problemas e freqüentemente nos levam mais para perto das situações extremamente tentadoras e dificuldades para resistir (por exemplo: decidir combinar um encontro com um velho amigo que usa drogas). Mostraremos como nossas mentes freqüentemente pregam truques como negação e racionalidade que aumentam o perigo de recaída e mostraremos que podemos aprender a lidar com essas tentações internas.
  4. A PR o ajudará a fazer importantes mudanças em seu ESTILO DE VIDA diário, de modo que a gratificação que você obtinha com as drogas é substituída por outras atividades não destrutivas e mais satisfatórias. Usar drogas torna-se uma adicção ou dependência para a maioria de nós porque usamos a droga como um meio de LIDAR com os contínuos altos e baixos da vida, usamos drogas para relaxar quando nos sentimos tensos, mas também às usamos para aumentar nosso prazer quando nos sentimos bem ou para celebrarmos. Torna-se progressivamente difícil simplesmente DEIXAR AS COISAS ACONTECEREM, sem aumentarmos ou diminuirmos a intensidade de nossas experiências usando drogas. Quando paramos de usá-las, começamos a aprender que podemos confiar em nossos sentimentos e experiências internas, sem tentarmos escondê-las através de uma cortina de fumaça. A PR ensina novos métodos de lidar com o estresse, tais como relaxamento ou meditação, exercícios ou aumento de “desejos” ou atividades desejáveis e auto gratificantes em seu estilo de vida diário. O desenvolvimento dessas assim chamadas ADICÇÕES POSITIVAS servirá como uma substituição promotora de crescimento para a adicção negativa de usar drogas, independente de sua natureza. O lema do estilo de vida da PR é: “ENFRENTAR SEM SE DROGAR!”
  5. Finalmente, a PR o ajudará a prever e a estar antecipadamente preparado para possíveis colapsos ou recaídas ao longo do caminho. Muitas pessoas iniciam sua jornada com expectativas e exigências muito grandes para si mesmas. Com freqüência elas esperam agir perfeitamente sem um único erro, de modo que se têm QUAISQUER dificuldades, pensam que isso só vem provar que não “têm o que é preciso”. Lembra-se de quando você aprendeu uma nova habilidade como andar de bicicleta? Será que na primeira vez já foi capaz de manter perfeitamente seu equilíbrio? Nós, na maioria, precisamos levar um ou dois tombos doloridos antes de termos alguma noção correta – mas aprendemos com esses erros (por exemplo: aprendemos a usar os freios, na próxima vez, para evitar tombos). O mesmo aplica-se à jornada da Estrada da Droga à Montanha da Liberdade. Embora uma grande parte imagina conseguir na primeira vez, sem quaisquer problemas, uma expectativa irrealista de perfeição pode preparar-nos para o fracasso; podemos ser tentados a desistir por completo na primeira vez que temos um problema ou tropeçamos no caminho. Se descobrirmos, na estrada, que nossa bicicleta tem um pneu furado devemos desistir e começar a pedir carona para voltar à Estrada da Droga? Ou, para assumirmos uma abordagem mais realista, devemos aprender a antecipar e a enfrentar as condições da estrada que poderiam, de outra forma, causar um furo no pneu (por exemplo: tomar uma estrada alternativa)? E, se todas as precauções falham, devemos descobrir como remendar um pneu, aprender com a experiência e continuar em frente? A PR favorece essa abordagem. Exatamente os exercícios contra o fogo e de salvamento na água são usados como um meio de ensinar as pessoas o que fazer no caso de uma emergência, também a PR oferece exercícios de recaída que o ensinam o que fazer no caso de algo pegar fogo. Nem todos são hábeis em fazer essa viagem com sucesso na primeira vez. Ao invés de se reagir aos problemas com um senso de culpa e fracasso, a PR trata esses assim chamados tropeços ou recaídas como COLAPSOS – enganos com os quais podemos aprender para melhorarmos nossas chances eventuais de sucesso. Para alguns, o processo de mudança é lento e laborioso e são necessárias inúmeras tentativas antes de o objetivo ser conquistado. Outros considerarão o caminho fácil, talvez com base em experiências que ganharam em tentativas anteriores para abandonar o hábito. Quer você sinta que teve sucesso ou fracassou em suas tentativas nesta jornada particular, o objetivo da PR permanece o mesmo: ajudá-lo a evitar (a acender o próximo cigarro, a tomar o primeiro gole, a cheirar ou injetar, etc.) a usar drogas – mesmo se você as usou em seu primeiro “deslize” desde o início da viagem.

Para se chegar à Montanha da Liberdade, a parte mais difícil é o início – especialmente os primeiros dias, quando as tentações para voltar ao conforto familiar da Estrada da Droga são mais fortes. Cada passo que você der na jornada aumentará sua confiança e auto-eficácia, a sensação de poder lidar com a vida sem usar droga, enquanto vai rumo ao ar puro da montanha. Os obstáculos ao longo do caminho não precisam levar a becos sem saída ou a abismos intransponíveis; o planejamento de rotas alternativas sempre é possível. E se você não faz isso nesta tentativa particular, você sempre pode tentar novamente. A cada vez que você tentar, aprenderá um pouco mais sobre como fazer isto. Feliz percurso!!!

Se você gostou desta proposta de Prevenção de Recaídas e precisa de ajuda para livrar-se das drogas, mande-nos seu e-mail ou agende uma avaliação (41) 3343-7132 e inicia já sua PARADA das drogas e PROSSIGA com um caminho de bem estar.


1Psicóloga Clínica formada pela PUCPR

Este artigo ajudou você? Deixe seus comentários abaixo, ou clique ao lado e nos envie uma mensagem.

Comments
  • huygens
    Responder

    Gostei muito da adaptação que foi fieta da obra de Marlatt & Gordon